segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Um dia longo

As horas não passavam, ou passavam sem eu querer dar por elas, parecia que não havia amanhã e que tudo tinha que ser dito naquela altura, naquele momento. Tudo o que se disse naquela altura tinha mais valor, um valor que sabíamos que amanhã podia não ser igual. As palavras, as frases, os pensamentos faziam sentido. Parecia que ainda estava a terminar uma frase e já ia a meio de outra.O medo de não ter tempo de dizer tudo. Deixar coisas por dizer, coisas importantes naquela altura e ainda mais importantes depois. A imagem, todo o cenário. As horas passavam a correr. A cor da manhã. Alegria. A cor da tarde. Sorrisos. O escuro da noite. Angústia. A vontade de parar o relógio. O medo de perder a noção.
Um dos dias mais bonitos da minha vida...

2 comentários:

Ernesto G. disse...

And I wasn't there!

Sofifaruk disse...

not you but your country!;)