sábado, 4 de outubro de 2008

Dia Mundial do Animal

Hoje, dia 4 de Outubro, comemora-se mais um Dia Mundial do Animal. Este dia foi escolhido por coincidir com a data em que se assinala a morte (em 1226) de São Francisco de Assis, padroeiro dos animais. Segundo os escritos da altura, este homem que mais tarde veio a ser santificado pela igreja católica, adorava animais, chegando mesmo a adquirir alguns para mais tarde os libertar.

No principio da década de trinta, quando se fixou a comemoração nesta data, as preocupações eram ainda muito insípidas quanto às verdadeiras necessidades dos animais, quer dos domésticos, quer dos animais para abate, quer ainda dos animais silvestres e selvagens.Nesta época, as mesmas pessoas que supostamente defendiam os direitos dos animais, podiam ser as mesmas que se deslocavam a África para caçar um rinoceronte, ou que tinham já participado numa sangrenta caça ao tigre da Tasmânia, que em 1936 se veio a extinguir, ou introduzindo espécies não autóctones noutros continentes ou locais, com as consequências que hoje todos conhecemos.

Neste inicio de século as preocupações são outras: proteger as espécies mais vulneráveis, educar as crianças para os direitos dos animais e promover as alterações necessárias para que todos os animais possam usufruir dos direitos que a todos assistem. Talvez daqui a alguns anos seja mesmo possível olhar para trás e comemorar a data por se terem conseguido atingir os objectivos a que hoje nos propomos.

Por todo o mundo dito civilizado são milhões os animais que são abandonados nas ruas, por um dos mil motivos ou desculpas que todos conhecemos.Por todos estes motivos e muitos outros, é necessário educar para o respeito pela biodiversidade para que, daqui a alguns anos, o que hoje é ensinado dê frutos e para que as questões ambientais estejam sempre na ordem do dia, garantindo assim o bem estar das populações, já que só o equilíbrio entre fauna, flora e ambiente em geral pode proporcionar a todos, e particularmente a nós humanos, um futuro risonho.

Em comemoração deste dia, vou aqui falar-vos de todos os animais da minha casa e que fazem parte da minha vida.


O Faruk, Pastor Belga Tervueren, muito especial para mim, faz parte da minha vida há 9 anos e meio

Da esquerda para a direita, temos a Matilde, uma rafeira com cerca de 5 anos apanhada da rua e tratada pela minha irmã, a seguir o Gaspar, Golden Retrivier com 5 anos, que nasceu em nossa casa, filho da vodka que hoje já não faz parte da familia.

O mais novo da familia é o Miró, um Pastor de Shetland que tem 2 anos

Aqui está a Miranda que à cerca de 1 ano decidiu adoptar-nos, gata-cão, é dos gatos mais sociáveis que conheço, além que gosta tanto de festa como um cão.

O Sebastião é um gato obesso e está connosco há 7 anos

O Sassá o mais velho da familia que já nos acompanha há 12 anos

A todos peço que TRATEM BEM DOS ANIMAIS E NÃO OS ABANDONEM!

7 comentários:

Ernesto G. disse...

Miranda se parece a mi gato, Henry.

Aguaya Berlín disse...

Desde pequeña llevaba a mi casa a cuanto gatico recién nacido dejaban abandonado en la calle... le daba leche y quería quedarme con todos pero no era posible. Siempre traté (aun lo hago) muy bien a los animales. Y pensar que muchos son más buenos que muchos humanos!
Saludos, Sofía!!

Sofifaruk disse...

Sin duda Aguaya,de que muchos animales son mejores que muchas personas.

Yoana disse...

Que lindos animales tienes Sofia. Me gustan tanto los perros como los gatos. En La Habana tuve 4 gatos, a uno me lo arrolló un ciclista frente a la casa, durante un apagón, otro escapó asustado durante una fumigación, y otros dos se perdieron (no se si habrán parado en algún plato, me erizo solo de pensarlo). En Cuba sufren ellos tanto o más que los humanos, pero que se puede esperar. Un saludo.

Sofifaruk disse...

Gracias Yoana!!!

Geovana disse...

Que invejinha... quero um monte de bichos assim também... ai, ai... tenho que providenciar uma casa bem grande.

Que Deus as proteja e dê muita saúde a todos esses bichinhos e a vocês.

Sofifaruk disse...

Geova, eu não tenho uma casa bem grande, por um lado ainda bem, porque se a casa fosse maior, mais animais tinhamos, mais animais apanhavamos abandonados da rua...assim fechou a loja!:)