quarta-feira, 11 de março de 2009

Mudanças...de vida

"Muitas das mais significativas mudanças que nos determinam o rumo da vida começam por razões que não são as por nós desejadas"

A vida está sempre em constante mudança, não são precisos muitos anos para ver o que a vida mudou, ou as voltas que a vida levou...bastam minutos ou horas, uma chamada ou uma perda, um encontro ou desencontro para nos apercebemos o que tudo mudou, ou o que vai mudar. Mas o que me mete impressão não é a vida mudar, mas sim o pouco tempo em que muda.

Olho á minha volta e vejo mudanças num tempo record, que para mim seriam impensáveis, mas as mudanças existem, mais rápido do que pensava, é incrível!

8 comentários:

Dagmar disse...

Precioso tu blog, Sofia! Enhorabuena!

Tombazana disse...

Mudar de vida...estamos sempre a tempo de mudar...a maior parte do tempo não fazemos por medo.

Li um livro de Paul Auster "PENSEI QUE O MEU PAI ERA DEUS" Antologia organizada por Paul Auster, compilação de depoimentos recolhidos no programa “Weekend All Things Considered” do National Public Radio, uma organização privada não lucrativa, criada em 1970, associando noventa estações de rádio americanas. Surgiu, assim, o “National Story Project”, de que este livro é a compilação de muitas das contribuições dos ouvintes.
E o que é que “Pensei que o meu pai era Deus” nos oferece? São pequenas histórias, presumivelmente verdadeiras e autobiográficas, de episódios do dia-dia de centenas de americanos. A extensão dos textos varia entre a meia-dúzia de linhas e as duas ou três páginas. Paul Auster dividiu a obra em vários capítulos temáticos. No primeiro, encontramos histórias relacionadas com “animais”, seguindo-se “objectos”, “família”, “burlesco”, “desconhecidos”, “guerra”, “amor”, “morte”, “sonhos” e “meditações”.
O mais fascinante de tudo é encontrar esta quantidade enorme de ordinary people partilhando cenas e histórias fantásticas de uma existência em que, aparentemente, nada teriam de interessante...e a páginas tantas, apetece mesmo mudar de vida como acontece neste livro que recomendo

Beijinhos muitos

Sofia disse...

Gracias Dagmar!:)Volta siempre...*

Mãe,neste caso, quando falo mudanças de vida, nem estou a pensar propriamente de querer ou gostar que a vida mudasse, aqui falo do que a vida muda e em tão pouco tempo, por exemplo, as voltas que a minha vida deu nestes dois últimos anos...longe de mim imaginar tudo o que se passou. Também a mesma coisa com pessoas á "minha volta", o que a vida mudou em tão pouco tempo...é isso que acho incrível!

Beijinhos!*

Tombazana disse...

É verdade...é a vida, tão dinâmica...

Beijinhos

Sofia disse...

Dinâmica mesmo...até demais!!!:D***

Salva disse...

Ciao Sofi,

Questo post credo che anche se scritto con una leggerezza come solo tu sai fare:) dietro ci stanno pensieri profondi. Un calcolo o meglio un analisi dei tuoi ultimi due anni, da come ho capito.

A volte non succede niente nella vita per molto tempo. Diventando cosi una routine. E invece a volte tutto succede cosi in fretta, come un film che vá avanti veloce, con tutti i vantaggi e svantaggi.
E possono cambiare cose che non si avrebbero potuti mai immaginare. E a volte sono talmente veloci questi cambiamenti che si pensa che sono irreale. Quasi surreali per usare la parola giusta. Appunto perché come dici tu, sono piú veloci dei nostri pensieri. E senza dubbio, ci segnano e insegnano nella vita.

Io ti augoro con tutto il cuore che i cambiamenti, e quelli futuri ti rendono felice nella tua vita, che tu possa realizzare tutte le cose che desideri. Qualsiasi cosa sia Sofi.
Il miglor esempio buono senza dover cercare risposte in altri, tu ce l'hai in tua madre, che valuto una donna molto forte e coraggiosa per avervi dato da sola tutto quello che si puó dare, come giá ti dissi una volta.

Un bacio,

Salva :)

Sofia disse...

Profondo è il mio post e anche il tuo commento Salva.;)
Vero...el cambiamenti della vita sono piú veloci dei nostri pensieri.Como se dice "C'est la vie":).Beijos

Salva disse...

;)